“As operadoras do setor têm um desafio para os próximos anos

“Oferecer a melhor medicina pelo menor custo aliada à tecnologia.”

  1. Iniciamos a semana com mais um bate-papo exclusivo sobre o mercado segurador. Conversamos com a Presidente da Acoplan (Associação dos Corretores de Planos de Saúde e Diretora da VIACORP Administradora de Benefícios. Especialista em Seguro Saúde, Rosa Antunes falou sobre as mudanças em relação à franquia, a importância de oferecer um tratamento qualfiicado com menor custo aliado a tecnologia, as parcerias envolvendo leads para os corretores aumentarem a demanda de novas negociações, falou também sobre a formação e qualificação do corretor de seguros saúde, relatou as adversidades com fraudes e falsificação nos contratos e finalizou a entrevista com uma mensagem motivadora aos que atuam com essa modalidade de seguro.

 

Confiram o conteúdo abaixo e boa leitura!

 

 

Panorama Seguro: Para iniciar a entrevista, vamos falar sobre a franquia no setor de saúde. Sabemos que a franquia é opcional e não é obrigatória, assim como os casos quando existe co-participação. Na sua opinião, o método de franquia para o segurado pode ser vantajoso em alguns casos. Se sim, especifique somente para esclarecimentos. 

 

Rosa Antunes – Considero a franquia um método educador para o usuário usar o plano de saúde, sem onerar as despesas. Por quê? Essa proposta vem para reduzir as mensalidades dos atuais planos de saúde que de fato estão caras, mas a medicina de qualidade não é barata. Eu mesma me interesso por um plano de saúde assim, no qual os menores riscos eu assumo e os maiores riscos posso contar com uma empresa para cobrir essas despesas. Penso ainda que a franquia pode incentivar as empresas a voltar a oferecer os planos de saúde individuais que saíram das prateleiras das maiores operadoras.

Também sou favorável de que nesta modalidade serviços de prevenção sejam ofertados sem envolvimento da franquia para que o usuário mantenha a saúde bem cuidada, evitando as cirurgias e internações por falta de prevenção.

 

 

Panorama Seguro: Conte para os nossos leitores os detalhes do “Mega Lead”, que consiste indicações gratuitas de clientes para negociações. 

 

Rosa Antunes – Megaleads é um programa da VIACORP em parceria com uma empresa de fornecimento de leads, que gera clientes interessados em comprar plano de saúde, no qual repassamos aos corretores cadastrados e estes o atendem. Tem uma comissão menor por tratar-se de co-corretagem mas os corretores estão gostando, pois trata-se de uma frente de trabalho que não existia, com possibilidade de ampliação de carteira, já que os demais ramos, fora do saúde, não atuamos para o Megaleads.

 

Panorama Seguro:  O mercado de saúde atua muito com consultores que não possuem formação de corretor de seguros. Em alguns casos, percebemos a banalização desses profissionais que vendem o contrato do plano ou seguro saúde, sem os mesmos terem uma formação, a não ser o treinamento de vendas oferecidos pelas operadoras. Essa falta de um padrão pode ser prejudicial ou basta que o profissional se atualize e vá em busca da comercialização do contrato de plano ou seguro saúde?

 

Rosa Antunes – A falta de um padrão faz muita falta. Eu não gosto de “pré- conceitos”, bons e maus profissionais existem em todos os ramos, sou presidente de uma associação das corretoras, a ACOPLAN, susepados inclusive, que operam em sua maioria com prepostos e recentemente obtivemos a carta sindical liberada pelo ministério do trabalho para o nosso sindicato, especifico do nosso setor, o SINDIPLANOS, entre as demandas de trabalho urgentes, está a criação de um selo de qualidade, para as empresas corretoras especializadas em saúde.

Nós queremos excluir os maus e os falsos profissionais do setor, temos ciência que temos problemas ainda, mas posso garantir que são menores do que já foram há dois anos atrás, através das nossas reuniões semanais tomamos conhecimento desses profissionais e o eliminamos, temos feito um trabalho de inserir novos profissionais no mercado dentro do perfil que as corretoras precisam e as operadoras exigem. Vamos formalizar e profissionalizar o setor até o final de 2018.

 

Panorama Seguro: O mercado, não só de planos, mas também de seguro saúde, possui uma alta incidência de fraudes, como falsificação de assinaturas, informações equivocadas em relação ao endereço, telefone, dentre outras. Verificamos que as operadoras e seguradoras possuem uma certa desconfiança com os contratos do Microempreendedor Individual. Quais são as recomendações para os corretores que atuam com Saúde, se livrar de uma série de fraudes? 

 

Rosa Antunes – Outro dia um diretor de pós-venda me falou: “Rosa, para ocorrer uma fraude, esta não decorre de uma só pessoa envolvida, sempre há duas pessoas”, então, analisando o que ele me disse e trazendo para a sua pergunta, todo problema tem duas pontas, cliente x corretor que se unem para praticar a fraude, na maioria dos casos o cliente é cúmplice, imaginamos que com a criação do selo de qualidade uma das exigências seria a integridade das informações, então as corretoras fariam uma auditoria prévia antes de enviar os contratos para evitar à perda do selo, em contrapartida as corretoras com selo teriam um reconhecimento das operadoras para entregar uma venda mais qualificada.

 

Panorama Seguro: Recentemente, a Agência Nacional de Saúde divulgou um número de 23,2 milhões de beneficiários, um aumento de 120 mil usuários em comparação com o mês anterior, e de 1,3 milhão em relação a março de 2017. Os números apontam uma estabilidade, é uma comprovação que o setor está em crescimento. Na sua opinião, a economia brasileira demonstra aumento no poder aquisitivo do brasileiro em relação a adesão dos novos beneficiários, ou a população acaba fazendo um seguro ou plano, devido à grande deficiência no Sistema Único de Saúde?

 

Rosa Antunes – As duas coisas, a economia melhorou e a fila do SUS é complicada, não posso dizer que o SUS não funciona porque conheço serviços de primeira qualidade oferecidos por ele, o problema é conseguir atendimento, a espera é cruel. Saúde no Brasil sempre foi deficitária e sabemos que na doença ter uma medicina de prontidão com qualidade faz toda a diferença, no SUS pode ter qualidade, mas não está acessível, isso faz o setor de planos de saúde ser um excelente investimento – porque a saúde não tem preço, não é verdade?

 

Panorama Seguro: Para finalizar, deixe uma mensagem motivadora aos corretores que iniciaram recentemente as comercializações dos contratos de planos e seguro saúde. 

 

Rosa Antunes – O setor de planos de saúde vai crescer muito no Brasil, 70% da população não tem essa cobertura ainda. As operadoras do setor têm um desafio para os próximos anos: oferecer a melhor medicina pelo menor custo aliada à tecnologia, então pode investir nesta carreira que promete bastante rentabilidade a profissionais preparados para atender esse cliente que estará também mais exigente.

Fonte: panoramaseguro.com.br

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *